17. CONECTADA À EMOÇÃO E ATENTA À LINGUAGEM

ELOISA ELENA CORREIA CARNEIRO. APTF, SÃO PAULO - SP - BRASIL.

Quem procura um terapeuta não está em paz com o seu centro de narrativa. O pai veio em busca de ajuda para um melhor convívio familiar. Ele quer deixar de ser “trouxa” e para isso conta com a cumplicidade da mulher e a obediência das filhas. A mãe tem bem claro o que espera para o ambiente doméstico, mas faz qualquer negócio para evitar o confronto e as irmãs não suportam tantas brigas e gritos. Basicamente a conversa gira em torno de acusações, cobranças, frustrações e daí para adiante. Para que isso está sendo dito? O sujeito sempre fala com uma intenção e para o outro. É um jogo de fronteiras, uma acomodação de forças contraditórias. Existe um movimento permanente em transformar essa emoção numa conversa. Consultório é uma instituição discursiva e o vocabulário usado pode levar para outro mundo. Se a linguagem não é representacional, ela permite construir e modificar as relações entre os interlocutores, seus enunciados e seus referentes. Um leque de ações cotidianas, aparentemente irrelevantes, contaminam as relações que são descritas como más. O terapeuta tem que sofisticar a sua escuta para se incluir na conversa: deve estar atento às condições de produção do discurso pois muitas vezes os clientes não são sujeitos dele. Nessa família, o que se via era um falando pelo outro. O discurso não é um ponto de vista, é uma organização de restrições que regulam uma atividade específica e para o terapeuta reconhecer o efeito da fala discursiva em si amplia o campo de atuação. O foco é na forma como o enunciado é produzido; mostra algo e produz efeitos. A transmissão da informação é uma parte muito pequena daquilo que você fala. O tom das conversas mudou. Palavras como afeto, tolerância e esperança atravessam as sessões norteando o caminho a seguir. Referencias Bibliográficas:  Ghiraldelli Jr,Paulo – Richard Rorty a filosofia do novo mundo em busca de mundos novos. Petrópolis RJ Ed Vozes 1999 Guirado, Marlene – A clinica psicanalítica na sombra do discurso. Casa do Psicólogo 2000 Maingueneau, Dominique – Novas tendências em Analise do Discurso. Pontes 1997