Angela Hiluey

Angela Hiluey

CURSO:"A Família e o Idoso com Alzheimer: Quando até quatro gerações são afetadas"
Psicóloga, psicoterapeuta, pós-doutora em terapia familiar pela Universidade Autônoma de Barcelona-Espanha;
doutora em educação pela USP – Universidade de São Paulo; pesquisadora no Lide/IPUSP;
fundadora e diretora do CEF-Centro de Estudos da Família Itupeva (escola associada a RELATES – Rede Europeia e Latino americana das Escolas Sistêmicas);
coordenadora, docente e supervisora do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Terapia Familiar no CEF;
docente da Fetus;
membro efetivo da EFTA-European Family Therapy Association, membro titular da ABRATEF-Associação Brasileira de Terapia Familiar;
membro titular da APTEF-Associação Paulista de Terapia Familiar;
vice-presidente da ABRAP-Associação Brasileira de Psicoterapia; delegada brasileira, pela ABRAP, na FLAPSI (Federação Latino-americana de Psicoterapia), representante, pela ABRAP, no FENPB (Fórum das Entidades Nacionais da Psicologia Brasileira);
Psicoterapeuta certificada pela FLAPSI e pelo World Council for Psychotherapy;
Presidente da organização das XI Jornadas Internacionais RELATES (junho/2015);
Responsável pela edição brasileira e pelo Prólogo do livro: Terapia Familiar Ultramoderna – A inteligência terapêutica, autor: Juan Luis Linares (ed. Ideias e Letras, 2013);
Responsável pela publicação e pelo Prólogo do livro: O Sofrimento Psicológico e o Maltrato Relacional como Fontes de Psicopatologia, autores: Juan Luis Linares e Matteo Selvini (ed. Zagodoni, 2015).

Resumo:

A Família e o Idoso com Alzheimer: Quando até quatro gerações são afetadas.

O aumento na expectativa de vida da população é um fenômeno observado no mundo todo. Junto a ele novas doenças, dentre elas a Doença de Alzheimer, geram novos desafios aos profissionais encarregados desses doentes.
No caso do Alzheimer uma família pode ter até quatro gerações afetadas, na medida em que o doente vai apresentando mais limitações que demandam reformulações nas dinâmicas familiares.
Neste curso, usando como apoio, dada a sua implicação para a saúde mental, o conceito de nutrição relacional postulado por Linares (2013), bem como as pesquisas desta autora, pretende-se mostrar a relevância de que uma família vivendo tal situação seja compreendida e sustentada pelos profissionais que a acompanham.
A partir dessa perspectiva tem-se como proposta para esse curso oferecer, através de atividades práticas em pequenos grupos, tanto informações sobre esse tipo de família como também favorecer uma experiência grupal que possibilite a percepção da dimensão da vivência dessas famílias.
Objetiva-se ainda, favorecer uma discussão pautada nos elementos descortinados pela experiência do grupo e pelas cenas do filme “Para sempre Alice”, com o intuito de propor intervenções terapêuticas e uma reflexão sobre as repercussões em tais famílias visando promover a saúde mental.