Cláudia Simone Silveira dos Santos e Lisandra Barbosa

Cláudia Simone Silveira dos Santos e Lisandra Barbosa

DIÁLOGOS INTERATIVOS: "Perda gestacional”
Cláudia Simone Silveira dos Santos

Especialista em Psicologia Clínica e Psicologia Hospitalar, Mestre em Psicologia Clinica PUCRS e Doutoranda em Ciência da Saúde Ginecologia e Obstetrícia UFRGS.
Contratada do Serviço de Psicologia do HCPA na área de Ginecologia e Obstetrícia.

Título da Palestra: "Perda gestacional: vida inviabilizada, sofrimento silenciado”

RESUMO:

A gestação é um momento em que expectativas e fantasias tomam conta do universo familiar.
A perda do bebê ainda no útero instala na mulher e na sua família um luto que tende a não ser reconhecido cultural e socialmente, necessitando da intervenção da equipe multiprofissional na tentativa de um melhor desfecho emocional.
O papel do psicólogo é auxiliar tanto a família como a equipe no enfrentamento da perda, uma vez que o Centro Obstétrico representa o início da vida.

Lisandra Barbosa
Psicóloga pela ULBRA – Canoas;
Especialista em Transtornos do Vínculo e Clínica da Perinatalidade pela ULBRA e Université de Provence Aix Marseille I, França.
Especialista em Terapia Sistêmica pelo CEFI.
Membro do CORA - Núcleo de Intervenção no Luto e Membro do Núcleo de Avaliação Psicológica do CEFI.
Enfermeira, especialista em Enfermagem Pediátrica pela ULBRA.
Experiência em UTI Neonatal e Pediátrica e Oncologia Pediátrica.

Título da Palestra:"Perda gestacional: Uma dor não reconhecida"

RESUMO:
A perda gestacional envolve as mortes do embrião ou feto ocorridas no período gestacional. Conforme o período é considerada precoce ou tardia. São os chamados abortos espontâneos que podem ser por diversas causas.
Já a perda perinatal compreende as mortes ocorridas durante a gestação e após o nascimento no período neonatal. Essas perdas são consideradas como um luto não reconhecido, não validado socialmente e, portanto, apresenta dificuldades para a expressão da dor da perda.
É fundamental que os profissionais e serviços de saúde que trabalham com gestantes e puérperas acolham as pacientes e sua família oferecendo uma escuta ativa para prevenção de um processo de luto complicado.