Gissela Echeverría e Lucia Vinagre

Gissela Echeverría e Lucia Vinagre

COMO EU FAÇO: "Self do Terapeuta"
Gissela Echeverría
Mestre em Terapia Familiar Sistêmica do Centro Integral da Família - UCL.
Mestre em Educomunicação da Universidade Politécnica Salesiana de Quito.
Mestrado em Jornalismo, Rádio e Televisão do Instituto Oficial da Rádio e Televisão Espanhola. Madrid, Espanha.
Terapeuta Avançada de EFT (Emotional Freedom Technique) - Santiago, Chile.
Durante 10 anos, foi apresentadora de sucesso do programa de rádio voltado para a família "Adam sem Eve" do Rádio Sonorama e atualmente programa "Café TV" TV e Equador "O que vivemos" da Rádio Vision.
Fellow da Fundação Nuevo Periodismo Iberoamericano do Nobel Gabriel García Márquez. Cartagena, Colômbia.
Fellow do Instituto Iberoamérica - Israel.
Periodista de Educação Ciência e Cultura. Jerusalém, Israel.
Escritora do Grupo Planeta Colombia. Livro: “CONÉCTESE CON SUS HIJOS PARA QUE SE DESCONECTEN DE LA RED.
Cómo ser padres en la era digital”, 2014.
Com circulação em Equador, Colômbia e Peru.
Foi membro da comissão científica das Jornadas RELATES 2012 em Cuenca, Equador e participou de workshops e mesas-redondas dos Congressos RELATES (Rede Europeia e Latinoamericana de Escolas Sistêmicas) em Lima, Peru, de 2011; Guadalajara, México 2014 e São Paulo, Brasil -2015.
Diretora e promotora do Seminário Internacional "ADOLESCENTES NA ERA DIGITAL". Quito, Equador 2016 Conferencista nacional e internacional. Terapeuta casal e família.
Oferece workshops e palestras em instituições educacionais e no nível corporativo.

Titulo da Palestra:"LIBERACIÓN Y MANEJO EMOCIONAL": Claves para el cuidado emocional del terapeuta
RESUMO:
Como seres humanos, los terapeutas vivimos expuestos a una multiplicidad de factores estresantes del macro y del micro contexto en el que nos desenvolvemos, llegando a experimentar, en ocasiones, niveles de intensidad emocional que pueden volverse inmanejables. Miedo, ira, ansiedad, angustia, frustración, etc. El self emocional del terapeuta muchas veces puede estar saturado de estas emociones consideradas negativas. Comprendiendo el self del terapeuta como su principal herramienta de trabajo, el cuidado emocional es primordial para garantizar la salud integral y relacional del terapeuta, así como el cumplimiento de uno de los compromisos fundamentales para su ejercicio profesional: el crecimiento propio. En los últimos años, ha habido un gran avance en el estudio y la comprensión de las emociones. Y dado que la función del terapeuta implica una aproximación al universo emocional del consultante es indispensable que desarrolle ciertas competencias emocionales que le sirvan para cuidar su self emocional y a la vez hacer más eficaz su tarea. Además de 1) percibir las emociones con precisión, 2) comprender las emociones y ponerles un nombre, 3) usarlas para facilitar el pensamiento, es necesario, 4) liberarse de los pesos emocionales acumulados y 5) gestionar las emociones para recuperar el equilibrio y mantener estados de bienestar más perdurable. La liberación emocional equivale a una “limpieza” de las emociones negativas acumuladas para dar paso a estados de mayor serenidad, alivio y calma con el uso de EFT (Emotional Freedom Technique). El manejo emocional por su parte, consiste en la capacidad de gestionar las emociones que suscita un factor estresor para mantener los niveles de serenidad alcanzados. Las claves: Empezar por sí mismo. Liberarse para liberar.

Lucia Vinagre
Psicóloga, Analista Reichiana, Terapeuta de Casal e Família, Membro Titular da ATFRJ
Título da Palestra: “Trabalhando o self do Terapeuta”
RESUMO:
O trabalho com o self do terapeuta é um passeio teórico- vivencial no trabalho em seu processo de desenvolvimento do self pessoal e profissional. Tem como proposta ir da definição do que é o self do terapeuta familiar: O que somos e quem somos? Passando pelos scripts familiares, seus elementos nodais, e o que perguntar ao seu sistema e como ligar isso a si próprio. Chegando na redefinição dos contextos familiares e das relações, comportamento ativo do terapeuta e novo input. Um percurso para ver as ligações, que não havia estabelecido entre elementos nodais que podem ser feitas durante o processo vivencial. No trabalho o reencontro com as historias da nossa vida permite a compreensão da origem e do significado das atuais dificuldades como terapeuta de família, de tal forma que a mudança se torne concebível, alcançável e acreditável.
O objetivo do trabalho com o self do terapeuta primeiro vem a ser dar a importância ao trabalho do self. Segundo, que este trabalho do self atende a necessidade de entender para se orientar entre o(s) limite(s) interno(s) e externo(s) das relações interpessoais, para não nos deixarmos paralisar pelas emoções que sentimos, pois é impossível separar nossa vida como pessoas no mundo de nossa profissão.
Escutamos as histórias da família a partir de nossas experiências como profissionais que somos, mas também com nossa emocionalidade que são marcas de nossas relações.
E terceiro a ajudar a a refletir e questionar sobre a postura do terapeuta e compreender que ser terapeuta é um processo de transformar-se e transformar , através de uma postura aberta para desafiar mudar nossa visão sobre problemas, pessoas e situações