Maria Rita Seixas

Maria Rita Seixas

CURSO:"Sociodrama Familiar – Uma Forma Leve de Reconstrução da Vida Familiar"
Pedagoga, Psicóloga, Psicodramatista, Psicoterapeuta clínica, individual, de grupo, casal e família.
Especialista em Orientação Educativa;
Docente e Supervisora de Psicodrama reconhecida pela FEBRAP- Federação Brasileira de Psicodrama;
Terapeuta Comunitária e Supervisora de Terapia Comunitária pela ABRATECOM – Associação Brasileira de Terapia Comunitária;
Especialista em Terapia Familiar reconhecida pela APTF–Associação Paulista de Terapia Familiar e pela ABRATEF;
Mestre em Psicologia pela UnB; Doutora em Psicologia pela PUCSP; Mediadora de Conflitos pela Mediativa;
Agente de Paz pela Unipaz /Palas Atena;
Fundadora da Associação Brasiliense de Psicodrama-ABP. Docente do departamento de Psicodrama do Instituto Sedes Sapientiae;
Docente aposentada do departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo- UNIFESP e Coordenadora do Curso de Especialização em Terapia Familiar em Hospital deste departamento de Psiquiatria até 2010;
Coordenadora da ESOFS- Escola de Sociodrama Familiar Sistêmico;
Coordenadora do curso de Terapia Comunitária da ESOFS;
Fundadora da Associação Brasileira de Terapia Familiar- ABRATEF;
Fundadora do Grupo de Estudos para Prevenção da Violência Doméstica- GEV PRÓ- PAZ da APTF. Assessora da FAPESP;
Integrante do Conselho Editorial da Revista de Psicodrama de 1992 a 1996;
Integrante da comissão Editorial da Revista Pensando Famílias; Autora do livro Sociodrama Familiar Sistêmico; de vários Prefácios, capítulos de livros e artigos publicados sobre Terapia Familiar, Violência Doméstica e Psicodrama;
Org. do livro do CDC da ABRATEF - Origem e trajetória da Terapia Familiar no Brasil;
Org. com Maria Luiza Dias, do livro- A Violência Doméstica e a Cultura da Paz.

Resumo:
O curso tem como objetivo demonstrar como o método ”Sociodramático Familiar Sistêmico” pode ser utilizado na terapia familiar de forma ao mesmo tempo profunda, mas com leveza.
Iniciaremos com uma vivência e depois explicaremos porquê e como empregamos as técnicas utilizadas, para que os participantes possam observar e entender o que fizemos e ao mesmo tempo vivenciar como o Sociodrama ajuda na percepção e ressignificação do problema da família em conjunto, comprometendo-a com a transformação, uma vez que é concretizado no cenário, de forma rápida, profunda e leve, porque é feito em forma de jogo.
Além disto, permite-nos passear entre os fatos do presente, passado e futuro com muita eficácia ajudando na percepção da intergeracionalidade dos fatos vividos e da possibilidade de escaparmos desta repetição, vivenciando formas alternativas de lidar com os mesmos.
Usaremos para este fim, técnicas de relaxamento, roleplaying e perguntas reflexivas.