Josiane Foltram Leal e Fernanda Andrade Lima

Josiane Foltram Leal e Fernanda Andrade Lima

COMO EU FAÇO: "Conflitos Conjugais"
Josiane Foltram Leal
Crp 08/12883 Psicologa, especialista em casais com formação em Terapia Corporal e Sistêmica.
Pós graduação em Gestão de Pessoas, já foi professora em Treinamento e Desenvolvimento para Recursos Humanos.
Compõe a Diretoria Da Associação Paranaense de Terapia Familiar.
Afiliada ao Rafcal - Método de Reeducação Afeto Cognitiva do Comportamento Alimentar.
Membro do Primeiro Grupo de Praticas Colaborativas do Paraná - Divórcio Colaborativo.

Título da Palestra: "O divórcio Colaborativo - O casamento acabou, a família não!"

RESUMO:
Praticas Colaborativas, é uma abordagem que surgiu nos EUA, no final dos anos 80, quando o advogado Stu Webb e a psicóloga Peggy Tompson começaram a ajudar famílias que estavam em conflito, sem ir ao Tribunal.
Em 2013, no Brasil esse tema alcançou relevância quando ganhou o prêmio Innovare - na categoria Advocacia.
Como advogados e psicólogos podem em conjunto, encontrar um manejo adequado do conflito, tornando-o mais construtivo?
Essa abordagem busca melhorar a qualidade das decisões em momentos difíceis e manter a atenção no bem estar dos filhos.
O divórcio colaborativo é uma abordagem recente em nosso país, mas promete auxiliar no fim do casamento, sem terminar com a família.
Composta por uma equipe multidisciplinar, com advogados colaborativos, profissionais da saúde, consultores financeiros que juntos buscam uma forma saudável de separação, onde o diálogo é o veículo que reduz os custos de tempo, custos financeiros e custos emocionais, onde quem mais lucra são as crianças.

Fernanda Andrade Lima
CRP 6605/02 Especialista clínica com pós-graduação em Análise Bioenergética pela Clínica Escola Libertas Comunidade.
Pós- graduação em Terapia de casal e Família pela UFPE.
Arteterapeuta pela clínica Pomar - RJ.
Local Trainer pelo Internacional Institute Bienergetic Analisys - IIBA.
Presidente da associação Pernambucana de Terapia de Família - APETEF.
Diretora científica da Federação Latina Americana de Análise Bioenergética - FLAAB.
Diretora da clínica HORIZONTE DESENVOLVIMENTO HUMANO – Recife–PE.

Título da Palestra: "Conflitos Conjugais: O corpo que sofre é o corpo que transforma..."

RESUMO:
Na terapia com casais se tem percebido que quando os conflitos não são diluídos podem se transformar em uma grande crise levando até a separação. A comunicação é um dos principais fatores que dificulta a resolução dos conflitos mantendo a relação em seus aspectos destrutivos alimentando a raiva e o rancor, muitas vezes chegando à violência moral e agressões físicas.
Quando as dificuldades aumentam se fala até em ódio, deixando toda a família em crise, e desenvolvendo um ambiente adoecedor. Muitas vezes o ódio é o componente bloqueado de uma relação que está adoecida, e então paralisa o casal em uma dinâmica de sentimentos negativos levando os cônjuges a sérios conflitos e somatizações que impedem a transformação deixando registros danosos por muito tempo para outras relações no caso das separações, e para outras gerações quando se mantem uma dinâmica destrutiva.
Desde 1930 Wilhelm Reich que atuava como psicanalista na Europa desenvolveu uma técnica baseada nas intervenções corporais tendo como um dos princípios básicos a respiração com o objetivo de favorecer o contato com as sensações bloqueadas para possibilitar sentir o organismo em sua integralidade corpo mente. Por volta de 1956 Alexander Lowen sistematizou uma nova abordagem, a Análise Bioenergética, baseada nos fundamentos Psicanalíticos e Reichianos que propõe exercícios que facilitem a expressão da dor e o contato mais profundo na recuperação e resgate dos afetos amorosos.
As intervenções corporais onde a expressão emocional dos sentimentos negativos possibilitam o desbloqueio das tensões e o alívio dos sentimentos dolorosos propõe construir uma nova forma de comunicação mais saudável entre os cônjuges para facilitar a dissolução dos conflitos e fortalecimento dos vínculos.