Nora Cavaco

Nora Cavaco

CURSO:"O Contributo da Terapia Familiar no Impacto do Autista na Família"
Prof. Doutora Nora Cavaco, Licenciada em Educação de Infância e Licenciada em Psicologia da Educação e Reabilitação, Mestre em Práticas Educativas e Mestre em Psicologia Educacional na Especialidade das Necessidades Educativas Especiais, pela universidade do Algarve, Pós graduada em Neuropsicologia e Demências pela universidade de Barcelona, Doutorada em educação infantil e familiar, Intervenção e Desenvolvimento Psicopedagógico pela Universidade de Málaga, frequenta desde 2011 o Grupo SICA internacional de investigação na Universidade de Huelva onde realiza o seu Pós Doutoramento em Ed. Especial intervenção precoce em Autismo, Pesquisadora na faculdade de psiquiatria na USP de S. Paulo, docente convidada no IPq/ Amban da faculdade de Medicina da USP.
É docente universitária desde 2006 nas áreas da Ed. Especial onde incide a sua investigação no Autismo; saúde e psicologia, exerceu o cargo de Diretora do curso de Licenciatura em Psicologia, Diretora do Curso de Mestrado em Ed. Especial: domínio cognitivo e motor até à atualidade - Lusófona ESEAG em Lisboa; e Diretora do Curso de Mestrado em Psicologia Educacional com publicações relevantes nas áreas referenciadas, percorrendo o País leccionando Ed. Especial.
Pertence aos comitês Científicos da revista internacional Cesuca no Rio Grande Do Sul e no Grupo De Estudos Interdisciplinares GREI: Cadernos temáticos e revista, onde também pública sobre vários temas atuais ligados à saúde psicológica, educação regular e educação especial.

RESUMO:
O autismo é considerado uma perturbação neurodesenvolvimental com uma disfunção cerebral orgânica subjacente, com compormetimentos e implicações severas na interação e comunicação social (verbal e não verbal) provocando nos progenitores/pais e familia profundas preocupações, ansiedade, depressão e factors estressores.
Os pais precisam ultrapassar as situações de crise provocada pela atipicidade comportamental do filho que apresenta o quadro do espectro autista no sentido de ser possivel desenvolver e manter um relacionamento saudável e o mais normativo possivel para que consigam assim uma maior funcionalidade e adaptabilidade nas relações entre os pares, familiares e com o próprio filho.
Neste sentido devemos consciencializar-nos enquanto técnicos, da capacidade dos diversos aspectos dinâmicos e familiares que estão na base dos transtornos psiquiatricos, para que se atue na prevenção dos mesmos. Várias estratégias de coping e de percepções psoitivas contribuem para um maior ajuste da família e adequação do comportamento dos pais neste processo longo e dificil.
Corroborando com a literatura, a Terapia familiar implica a visão da dificuldade de um sujeito associada de forma direta ao seu meio familiar centrando-se assim a intervenção na familia e no meio em que ela se movimenta e relaciona e não propriamente, na individualidade de cada constituinte.
Numa abordagem cognitiva-comportamental em que os pais devem ser encarados como participantes ativos na resolução dos seus problemas (Bolton, D; 2002), esta baseia a sua intervenção na família enquanto sistema, centrada no foco famíliar como um todo, em que tudo o que acontece num elemeto afecta os outros elementos pertencentes.
Conceitos como Terapia familiar (abordagem cognitiva-comportamental/sistémica)) superação, bem-estar psicologico, ansiedade, depressão, resiliência, familia e pais de crianças e jovens autistas serão abordados, assim como técnicas terapeuticas centradas nos problemas no sentido de redefinir situações e preservar o equilibrio assim como satisfação com a vida.
Palavras Chave: Terapia familiar, Terapia cognitiva-comportamental, Terapia Sistémica, Família, Ansiedade, depressão, Resiliência, Bem-estar psicológico.