Paulo Kroeff e Maria Isabel Wendling

Paulo Kroeff e Maria Isabel Wendling

DIÁLOGOS INTERATIVOS:
"Famílias com Pessoa com Deficiência"

Paulo Kroeff
Psicólogo. Psicoterapeuta. Doutor em Psicologia pela Universidad Autónoma de Madrid, Espanha.
Mestre em Educação, na área de Aconselhamento e Serviços Psicológicos, pela Georgia State University, Atlanta, GA, Estados Unidos da América. Especialista Universitário em Terapia de Casal e Família, pela Universidad Pontifícia Comillas, Madrid, Espanha. Formação em Análise Transacional e em Logoterapia.
Professor do curso de Especialização em Terapia de Casal e Família da Clínica de Atendimento Psicológico da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Porto Alegre, Brasil.
Professor aposentado da referida Universidade, onde exerceu diversos cargos, além do cargo de professor, entre os quais os de Chefe de Departamento e Diretor do Instituto de Psicologia. Membro fundador da Sociedade Brasileira de Logoterapia - SOBRAL, quando de sua criação, ocupando o cargo de presidente da Comissão Científica, na primeira gestão da entidade. Membro fundador e 1º presidente da Associação Brasileira de Logoterapia e Análise Existencial – ABLAE, no período 2010-2012. Membro do Comitê Científico da referida Associação (2013-2015 e 2015-2017). Professor dos cursos de especialização em Logoterapia da Associação de Logoterapia Viktor Emil Frankl - ALVEF (Curitiba - PR) e do Instituto de Educação e Cultura Viktor Frankl – IECVF (Ribeirão Preto – SP) e do Curso de Formação em Logoterapia do Instituto Geist (São Luís – MA), e do Curso de Formação em Logoterapia, em Porto Alegre, no Brasil.
Autor de diversos artigos publicados de Logoterapia (Brasil, Espanha, México). Autor dos livros: 1. Possibilidades e Desafios da Pessoa com Deficiência – Contribuições da Logoterapia e da Teoria Sistêmica. Ribeirão Preto - Brasil, IECVF, 2012; 2. Logoterapia e Existência: A importância do sentido da vida. Porto Alegre: Evangraf, 2014. Co-autor e organizador do libro Finitude e Sentido de vida – O embate da logoterapia com a tríade trágica. Porto Alegre: Evangraf, 2014. Membro do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Rio Grande do Sul – COEPEDE/RS, do qual é presidente pela segunda vez e ex-integrante do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – CONADE (Brasil). Voluntário na Fundação Thiago de Moraes Gonzaga. Ex-voluntário na Asociación Española Contra el Cáncer e em Médicos del Mundo (Madrid – Espanha)

RESUMO:"Famílias com pessoa com deficiência: Desafios a serem enfrentados pelo sistema."
O primeiro desafio que terá que enfrentar uma família na qual nasce uma pessoa com deficiência é o de aceitá-la como pessoa que é, independente das limitações que sua deficiência possam lhe impor, dando-lhe o devido lugar no sistema, sem superprotegê-la nem negligenciá-la, ajudando-a a desenvolver ao máximo possível as suas potencialidades, como deve ser feito com qualquer membro de uma família.
Ajudar esta pessoa a desenvolver um auto-conceito e uma auto-estima positivos é de grande importância, fazendo-a sentir a dignidade de ser uma pessoa, sem desconsiderar as deficiências que possa ter, mas não supervalorizando-as.
Isto deverá ser ampliado para a família extensa. Outro desafio a ser enfrentado pela família e pela pessoa com deficiência é o da inclusão na comunidade mais ampla, em todas as áreas, incluindo escola, trabalho, cultura, lazer, esporte, relações sociais em geral.
Como nossa sociedade ainda não se desenvolveu suficientemente na questão dos direitos humanos, a pessoa com deficiência e sua família terão que aprender a lidar com preconceitos e barreiras atitudinais, além das limitações reais, que dificultam a inclusão, com qualidade de vida, da pessoa com deficiência.
É importante tomar conhecimento da legislação que garante esses direitos, a sua aplicação, trabalhando para sua ampliação, caso seja necessário.

Maria Isabel Wendling
Psicóloga, mestre em Psicologia Clínica (PUCRS), terapeuta de casal e família (CEFI), professora da Faculdade de Psicologia da PUCRS e supervisora do Serviço de Atendimento e Pesquisa em Psicologia (SAPP-PUCRS).
Trabalhou durante 10 anos como coordenadora do Serviço de Psicologia da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD-RS).

RESUMO:Família e deficiência: desafios, resiliência e possibilidades de crescimento.
O presente trabalho irá abordar as possibilidades e os principais desafios enfrentados por famílias que possuem pessoas com algum tipo de deficiência, dentro de uma perspectiva sistêmica.
Compreende-se que num sistema familiar todos os pertencentes sofrem e se modificam diante das mudanças ocasionadas com o surgimento da deficiência. Serão discutidos aspectos referentes à elaboração do luto frente à nova realidade da pessoa com deficiência, seja ela criança ou adulta, assim como os potenciais destas famílias para o enfrentamento de situações adversas.
A capacidade de resiliência e os aspectos que possam levar ao crescimento e desenvolvimento de estratégias familiares diante da deficiência de um de seus membros também será apresentada e trazida para o debate.